Quando alguém me conta feliz da vida que criou um site no Wix – e como o Wix é bom, e é fácil de usar, e é muito rápido colocar um website no ar sem nenhum conhecimento técnico, e por aí vai – eu sou honestamente impelido a dizer: “Realmente, o painel do Wix é lindo, fácil e intuitivo, o design dos temas é fantástico e além de tudo é grátis. Mas sabe que ele me lembra aquele filme brasileiro dos anos 70? Bonitinho, mas ordinário.“, pois é exatamente assim que eu me sinto com relação a ele.
Wix não é bom para SEOO Wix é bom, na propaganda que eles fazem, no painel que é realmente fácil de usar e também nos lindos templates de design que eles oferecem, apesar de não serem responsivos. Infelizmente é um sistema obsoleto e tenta compensar isso com a beleza de seus temas e a facilidade de uso do painel. É o melhor lugar para o @sobrinhoweb desenvolver um website sem muito conhecimento.
O Wix poderia mesmo ser o melhor sistema de sites que existe, não fosse uma decisão técnica e estratégica errada que fizeram há anos atrás. Enquanto  esta estratégia não for modificada, o Wix continuará sendo muito ruim para o posicionamento do seu site no Google e demais buscadores.

Porque o WIX é bom pra criação do site mas ruim para o SEO e posicionamento no Google?

Um pouco de história (mas não muito)

Originalmente, o Wix foi feito para ser um painel administrativo de conteúdo dinâmico para sites desenvolvidos em Flash (descanse em paz). Naquela época, os sites em Flash eram muito avançados em termos de design e tinham animações impossível de conseguir de outra forma. O problema é que o Flash rodava em um plugin do navegador e precisava de um aplicativo externo (Adobe Flash, ou similar) para criar e publicar o site num arquivo fechado .SWF. Desta forma, todo o conteúdo do site normalmente ficara “preso” dentro dos arquivos .SWF e somente o desenvolvedor original poderia fazer alterações no site, e precisava republicar un novo arquivo .SWF para que estas alterações aparecessem na internet.
Depois de algum tempo o Flash passou a ter suporte a carregamento dinâmico de conteúdo, textos, imagens e arquivos XML e ActionScript. Com este novo recurso, ficou mais fácil fazer a manutenção dos sites pois bastava atualizar o arquivo .TXT ou .XML para que o Flash carregasse automaticamente os novos dados, sem a necessidade de chamar o desenvolvedor do arquivo Flash toda vez que precisasse uma atualização
Outro problema do Flash era a ausência de Deep Linking, ou seja, não havia como carregar páginas específicas do site, você precisava entrar numa página principal (ex: www.dominio.com.br) para poder navegar até onde você queria, sem poder compartilhar o link direto para uma seção específica do site. Para contornar este problema apareceram algumas bibliotecas como o SWFAddress, que permitia usar a estrutura de âncoras nativa da Web para capturar o link interno e direcionar o visitante para uma área específica dentro do arquivo. SWF.

E é aqui que mora o problema…

Wix usa ancoras hashtag hashbang para criar linksA estrutura de âncoras, nativa da Web, usa o símbolo # (hash, cerquilha, sustenido ou jogo-da-velha) para separar áreas ou tópicos dentro de uma mesma página. Este recurso é extremamente útil em páginas longas que precisam de um índice de navegação, pois carregam todo o conteúdo de uma vez, e usam #ancoras para direcionar os tópicos que já existem na página, como faz a Wikipedia.
Talvez por uma homenagem ao Linux/Unix os desenvolvedores resolveram usar o Shebang (#!) acrescentando o ponto de exclamação ao lado do “jogo-da-velha” nas URLs.
O Flash precisava exatamente desta função para permitir que o site não fosse recarregado a cada vez que houvesse um link para uma área interna do arquivo SWF.
Para entender melhor a questão, veja estes exemplos:
  • www.dominio.com.br/
  • www.dominio.com.br/sobre/
  • www.dominio.com.br/contato/
Todos os endereços acima recarregam a página, e assim o Flash perde uma de suas principais funções. Agora veja estes outros exemplos:
  • www.dominio.com.br/
  • www.dominio.com.br/#
  • www.dominio.com.br/#sobre
  • www.dominio.com.br/#!contato
Numa estrutura HTML convencional, todos estes endereços acima apontam exatamente para mesma página, então os links internos (#, #sobre, #!contato, etc.) não recarregam a página, mas podem ser usados para criar links diferentes, e isso permite o Flash reconheça e direcione uma URL para uma área específica do site. por exemplo:
  • www.dominio.com.br
    • Abre o site na página principal carregando o arquivo SWF normalmente
  • www.dominio.com.br/#sobre
    • Permanece no mesmo arquivo SWF e direciona para outra área do site
  • E se a pessoa recebe o link www.dominio.com.br/#contato
    • Abre o mesmo arquivo SWF de sempre, mas já direciona para uma área específica do site
A vantagem é dupla, pois o site não é recarregado – já que não foi solicitada uma nova URL – e permite compartilhar links independentes para áreas específicas dentro de um site em Flash.

Pronto, problema resolvido! #SóQueNão

O Wix usou este recurso para acrescentar um sistema de gerenciamento de conteúdo, permitindo que os sites em Flash pudessem ser atualizados dinamicamente através de um painel administrativo. Era perfeito! Só que… o tempo passou, aparecerem os dispositivos móveis e o Flash morreu.
Isso já estava decretado há anos, pra quem quisesse ouvir. Durante processo todas as empresas se ajustaram e adaptaram suas estruturas para melhorar principalmente duas questões: SEO e Responsividade. No entanto a Wix resolveu (por preguiça ou falta de visão) manter a mesma estrutura de links que usava, tanto para os sites em Flash quanto para os novos sites em HTML. Tsc, tsc, tsc… :(
É importante notar que esta estrutura de links internos (#!) agora também permite com que o Wix consiga carregar somente partes do código HTML (as página internas), sob demanda, sem recarregar a página – usando javascript através de uma técnica chamada AJAX – e este recurso torna a experiência mais rápida e interessante para o visitante. Ponto para o Wix.
O uso do AJAX para carregar partes adicionais de código prejudica o posicionamento das páginas internas, pois o Google geralmente só lê a primeira página e espera encontrar cada página adicional com um link próprio. O Google não usa AJAX para indexar as páginas e quando vai indexar uma página do Wix encontra links #!isso #!aquilo mas não encontra as âncoras dentro da página e muito menos o conteúdo – ele ainda não foi carregado, lembra? – Desta forma as páginas #!isso-e-aqulio somente serão indexadas se forem manualmente introduzidas, através de um Sitemap ou links diretos de outros sites, para que o Google venha para estes links diretamente e o Wix carregue na primeira vez um novo conteúdo.
Wix é bom - É facil assim
Segundo as propagandas:-#ÉFácilAssim

Wix é bom para SEO?

Veja alguns links abaixo onde percebemos que o Wix não tem suporte nativo a SEO e a indexação dos sites na plataforma Wix demora muito mais para posicionar que a média, e ainda perde posicionamento quando alguém muda para o Wix..

Google vs. Wix – O barato sai caro

Assista a estes vídeo do Fábio Pessoa, que reportou o problema do Google com a desindexação dos sites hospedados no Wix, ocorrido no final de 2015.


Algum tempo depois houve outro anúncio, mas a pergunta permanece: porque somente os sites do Wix?


O Google não perdoa: enganou, dançou.

O buscador Google tem uma facilidade muito grande de perceber quando alguém está tentando enganar o usuário, mostrando links para coisas que não existem ou carregando conteúdos secundários após o carregamento inicial da página. Acredito que é exatamente por isso que o Wix perdeu posicionamento, pois é uma das únicas plataformas que anda na contramão dos padrões de design Web. Apesar dos esforços da Google em dar suporte a estas práticas absurdas como rastreamento de AJAX.
As âncoras (#) são originalmente um recurso para indexar conteúdo já carregado na página, e não para carregar novos conteúdos, sob demanda. Assim, enquanto o Wix continuar insistindo nesta prática (leia-se gambiarra), certamente o posicionamento dos seus sites será prejudicado, e provavelmente nunca alcançará os primeiros lugares orgânicos nas palavras-chave que realmente interessam.

O Wix é responsivo?

Outro problema recorrente é que os sites do Wix não são responsivos, ou seja, não se adaptam automaticamente às dimensões da tela, e portanto não aparecem adequadamente nos nos dispositivos móveis: smartphones e tablets. E isto hoje em dia é essencial para um bom posicionamento no Google.
O recurso existe, mas deve ser habilitado, e por causa da tecnologia usada para a criação dos sites (em camadas) o resultado satisfatório do efeito responsivo só pode ser alcançado depois de testes à exaustão. As resposta do suporte do Wis são superficiais e os pedidos de inclusão desta funcionalidade parecem ser completamente ignorados.
Seria tudo tão mais fácil não querer reinventar a roda e usar as tecnologias padrão de mercado já existentes.

Wix é bom. Já foi ótimo, mas ainda usa uma estrutura obsoleta

Com o surgimento de diversas tecnologias como DHTML, HTML5, CSS3, etc. e bibliotecas como Bootstrap e jQuery fazendo praticamente tudo o que o Flash fazia, já passou da hora de rumar para outros horizontes. Infelizmente a decisão estratégica de manter os links como âncoras internas da página e usar AJAX para sempre fez com que o Wix perdesse o bonde da história.
Ou seja, os sites do Wix não são realmente responsivos, não se adaptando adequadamente para os dispositivos móveis. Além disso o Deep Linking existe por um motivo, e as #ancoras dentro da página existem pra outro, o problema é que o Wix misturou tudo e ainda não fez o dever de casa. Juntando tudo, o Google olha com cara feia não gosta nenhum pouco disso.
Tira dois pontos do Wix.

Como fazer meu site posicionar melhor no Google?

Passo 1: Saia do Wix, o mais rápido possível!

O fato do Google ter penalizado o Wix é bom para percebermos que alguma coisa está errada! Mas antes de cancelar sua conta no Wix, veja os próximos passos. Infelizmente  não existe uma forma automática de migração do Wix para outras plataformas, pois o objetivo deles é exatamente que você fique lá pra sempre. Mas não se preoocupe, o esforço inicial poderá ser maior, mas o benefício a médio/longo prazo é to “tipo Mastercard“: não tem preço!

Passo 2: Contrate uma hospedagem independente e instale um CMS com opções avançadas de SEO.

Se você optou pelo Wix, é porque deseja ter o controle do seu conteúdo e também do design do seu site, mas isto é perfeitamente possível usando uma hospedagem paga para garantir que você tenha total controle de tudo o que acontece lá dentro e também liberdade para instalar as ferramentas que você deseja para atender as suas necessidades, e não apenas as que o Wix oferece.
Atualmente existem diversas ferramentas gratuitas de gerenciamento de conteúdo (CMS) que permitem total controle da hospedagem e das ferramentas instaladas, as mais populares são WordPress, Joomla e  , Drupal, mas existem muitas outras. Já experimentei várias delas e tenho trabalhado com o WordPress nos últimos 10 anos, e percebo o crescimento da comunidade de desenvolvedores e do suporte em português, o que é um grande diferencial na escolha de uma plataforma de CMS.
Veja este curso de WordPRess online grátis para entender como o WordPress funciona e crie seu site sem muita complicação usando uma plataforma semântica com SEO nativo e uma imensa rede se desenvolvedores e suporte em português.

Passo 3: Aprenda a identificar seu público alvo e produza conteúdo relevante para ele.

Neste ponto acredito que você já tenha percebido o quanto é importante que o seu conteúdo seja encontrado pelo Google, e por isso até o momento a estrutura técnica do Wix não serve adequadamente a este propósito. Se você pretende criar conteúdo relevante para atrair novos visitantes e oportunidades para o seu negócio, considere aprender mais sobre Marketing de Conteúdo e Inbound Marketing.
Quanto mais perguntas você responder, mais chances terá de aparecer e ser compartilhado nas redes sociais. Isso faz toda a diferença na hora de concorrer pelo posicionamento do primeiro lugar orgânico no Google (logo abaixo dos links patrocinados). Usando o Wix suas chances de ser encontrado nas buscas do Google reduzem drasticamente.

Espero que você tenha gostado de aprender sobre onde o Wix é bom, e onde ele não é. Continue lendo nosso blog e comente com suas experiências. Se você ainda acha que o Wix é bom, comente também.
Compartilhe com seus amigos que estão cogitando ou ainda usam o Wix e considere migrar para o WordPress. Se tiver dúvidas, dificuldades ou precisar de ajuda com algum dos pontos deste artigo entre em contato.